sábado, 28 de novembro de 2009

Outono dos Povos


A banda de metal negro  Brutal Morticínio
( este nome refere-se a invasão espanhola nas américas em 1492)
pediu uma pintura para a capa do disco
OUTONO DOS POVOS.

Gostei do desafio...
só podia usar vermelho e preto,
queriam uma a ilustração de uma floresta aos borões....



Apresentei uotra idéia:
pintar uma floresta seca
(apesar do outono ser estação das frutas,
é quando as àrvores perdem as folhas)
onde os galhos e troncos tenham aspectos humanos
transmitindo um clima de desespero
e impotência diante da brutal realidade.



Pintei em óleo sobre tela -138x93cm
Cheguei a sugerir que fize-se em tons de cinzas cromáticos,
Ficaria mais sombriu....
Escutei as músicas da banda ,
durante todo o processo da pintura, acho que
música, letra e visual devem se comunicar e falar a mesma lingua.
Uma das músicas do disco chama-se:
O Despertar dos Chacais
Resolvi por um....
 Não sei porque saiu um lobo guará.

Enviei uma foto por e-mail. Gostaram, mas contestaram. Queriam o lobo mais 'agressivo'.

'Quanto ao lobo na floresta (que não tava combinado) quero expor minha intenção como poeta e ilustrador. Minha idéia era discimular o horror. No tamanho que  esta figura ficará no CD, num 1º momento a pessoa perceberá apenas uma floresta seca e vermelha sob a luz da lua com um guará lambendo uma poça d'agua (ou será sangue?), o que já causa uma sensação de medo e desamparo. Quando pegar o CD na mão e prestar atenção verá as expressões dos nós e talvez mais tarde os corpos, num desespero agonizante. Se tiver ouvindo a música sentirá o horror da impotência de não poder mudar sua realidade diante da barbárie dos colonizadores. E o lobo??? você que-lo mais agrecivo. Mais? Esta calma é inquietante, como um poço ou um lago (são calmos porém profundamente perigosos) veja como ele sutilmente expõe seus dentes. E o brilho no olhar... o que esconde este olhar? A sede de sangue inocente como 'Dieison' que surgia de um calmo lago? Porque ele está tão tranquilo e só num lugar tão medonho? Será que não sente medo? Ou ele é o próprio medo e horror encarnado? Será que o gemido e lamento das árvores são música para seus ouvidos? Será que foi ele q aprisionou aquelas almas nos troncos? A obviedade oculta impreciona mais e causa maior impacto doque a exposição explícita da idéia. Até porque, esta última, não mantem uma relação de dialogo com quem escuta/visualiza. É impósta! Na outra a pessoa se sente cúmplice como quem decifra um enigma ou lhe é concedido a revelação de um mistério. Bom... isto é apnas uma opinião pessoal. Sei lá... mostre o desenho e isto pra banda, pra ver o que acham. porque se não for esta a proposta da banda, não farei resistência alguma, explicitarei a violência do lobo( que não tava no combinado) afinal o CD é de vocês, eu tenho a mania de poetizar as coisas'

Para a contra capa pediram um crânio humano sobreposto a uma foice e uma K-47, queriam que fosse no estilo ilustração medieval, usei nanquim e bico de pena. E para o encarte um monte de indios mortos, lutando contro Colombo e sua corja.


Sugeri uma releitura da classica pintura da chegada de colombo, onde todos teriam seus rostos caveirosos. Sendo, eles, os próprios emissários da morte...




Veja a letra da música:

Batalhão de servilhos
ser-vos servos do império do norte
sob o muro da vergonha
o obscuro rumo à estrela polar

 

Marcha de sangue na trilha da morte
embalando os condenados
e ofertando suas almas
vendendo as entranhas de suas progenitoras


Curven-se ante ao pelotão da morte
que lhe conduzirá a uma vida de merda
para apodrecer debaixo da terra


Ao cair das trevas...

Ao cair da noite...

No despertar dos chacais...

Ao cair...

O outono dos povos.


(O Outono Dos Povos-Banda Brutal Morticínio)
 

No final, por questões ecomômicas, a arte do disco foi toda feita em preto e branco. Gostei muito do resultado, desde o início queria pintar com tons de cinzas....





3 comentários:

Madá disse...

Oi, David!
seja muito bem vindo ao universo blogueiro! bacana sua iniciativa de se expressar por aqui. Eu adorei e tenho certeza de que muita gente vai gostar tbm. se bem q vc já começou faz tempo, a infame da Vivo é que não te deixava aparecer, hehe. gostei da arte do disco, deu curiosidade de ouvir, mesmo nao sendo fã de metal, quem sabe a partir deste trabalho eu passe a gostar...
te desejo muita sorte e sucesso neste espaço, que vc tenha tanto prazer em deixar suas pegadas na blogsfera qto eu. um beijo, parabéns!

Soturna Noite disse...

Saudações Bill!
Muito legal teu blog, estarei postando em nosso myspace o link desta tua postagem, e como seu contato!
abraços
Louise e Matheus

Bissigo Ricco disse...

Saudações Orda!

Legal, não só pelo contato mas como crônica do disco. Muita gente não faz idéia dos inúmeros processos que pode passar a produção de um artefato.

Aqui nesta postagem, optei por uma linguagem mais universal pra que os civís compreendam o que escrevi. Como o caso da minha amiga Madá de MT, outras pessoas (não metaleiros)comentaram estar dispostas a tirar a capa do preconceito musical e escutar vocês.